quinta-feira, 3 de maio de 2007

Maias

Assunto(s): , , ,


No seguimento da excelente postagem feita pela Carla aqui deixo mais uma versão daquilo que se passava na noite de 30 para 1 de Maio.

Nas nossas aldeias todos os usos e costumes estavam relacionados com a parte religiosa ou com o romantismo.

Na noite de 30 de Abril para 1 de Maio o "demónio" anda de porta em porta para descobrir as moças preguiçosas e estas revelam-se por não fazer as lindas coroas de flores para porem às portas ou nas fachadas das suas casas como sinal de "aqui há moça casadoira". Toda a rapariga deve dizer "não" à visita do demo e automaticamente dá o sinal de que ali há um bom partido para o futuro lar. Se não tem tempo para fazer um maio artístico, um simples ramo de giesta em flor tem o mesmo significado.

Durante a noite as raparigas escondem-se atrás das janelas para ver os seus pretendentes. Os rapazes por sua vez procuram "roubar" o maio àquela que já lhe tocou na alma. Assim, noite fora, uma juventude cheia de alegria e coragem vai procurar o maio da sua amada, o que por vezes não é fácil, pois, de propósito, o maio, é atado com artimanhas ou colocado em lugar de difícil acesso. É neste simples acto que se vê a coragem do seu pretendente.

2 comentários:

Carla disse...

Olá,
é uma versão muito gira e que eu desconhecia totalmente.
É pena a tradição estar a perder-se porque devia ser muito divertido.

Anónimo disse...

Ola ,tambem nao conhecia essa versao sa mocas casadoiras.Mas por aki nas nossa terras aindas se usa as Maias para afastar o demo e a tradicao cumpre-se religiosamente..

beijinhos

Paula Morgado